Hahaha (2010)

“Hahaha” (2010)

IMDb

a alma do boné laranja que contava histórias sobre comida e mulheres

Rashômon tinha a ver com os múltiplos enquadramentos de uma história.

Chungking Express tinha a ver com a forma como duas histórias diferentes, ou vislumbres de histórias, podem partilhar o mesmo espaço físico e emocional.

Esses dois filmes são importantes e mudaram o cinema e, necessariamente, a forma como sonhamos e seguimos uma história.

Este filme é um produto híbrido entre esses dois, e estende a sua condição híbrida em termos de enquadramento de história para o território dos diálogos Woody Allen, ele mesmo um mestre de enquadramentos narrativos, e que tem o seu kit privado de bizarria e obsessões, superficialmente expressas nos seus diálogos incríveis. Isso é trazido para aqui pelo escritor/realizador.

A moldura exterior tem-nos a ver um conjunto de fotografias que documentam o encontro de 2 amigos numa montanha, algo que nunca vemos realmente, e por isso realça o aspecto artificial do truque: estamos a ver alguém a contar a história do encontro entre 2 pessoas. Nesse encontro, esses 2 alternam e contam ao outro pedaços de histórias que aconteceram nos meses anteriores. Um dos personagens é um realizador. Num destes episódios há uma performance enquadrada num palco, e por alguns momentos não percebemos que é uma performance. O filme tem uma estrutura muito densa, escrita muito competente. Mas a piada é o interior deste mundo que vemos.

Todos os episódios têm lugar na mesma vila pequena. Os lugares são muito importantes. Por isso temos lugares que acabamos por ver repetidos vezes sem conta, com diferentes pedaços de história a terem lugar: o restaurante frequentado pelos 3 homens e 2 das mulheres. O hotel, onde todo o sexo assumido ou presumido acontece. O novo apartamento inacabado. O café com vista sobre o porto, e o próprio porto. Todos estes espaços recebem uma parte da história, diferentes momentos, diferentes peças do puzzle. Há um sentido de vidas entrelaçadas, que vemos por vislumbres, por pequenos pedaços, contados desde 2 pontos de vista, de 2 pessoas que são protagonistas das suas próprias histórias. Compreendemos que eles passam um pelo outro, que essas histórias são na verdade uma só mas que no final quase não se tocam.

A comida é um elemento importante. A comida é um elemento central de todas as idiossincrasias culturais do mundo, a Coreia não é excepção e a forma como as especificidades coreanas na relação com a comida são trazidas para o centro deste mosaico. Contem as cenas que se desenvolvem literalmente à volta de comida.

O último elemento importante é o boné laranja, dado pelo realizador à sua mãe, que depois o dá ao outro personagem masculino de quem ela gosta, e que tem uma relação com uma das mulheres que mais tarde acaba envolvida com o realizador. Essa mulher acaba por perceber a relação indirecta entre os 2 homens quando o realizador tenta levá-la ao restaurante da mãe dele, onde ela já tinha estado com o outro homem. São este tipo de relações circulares, vidas cruzadas, que encontramos ao longo do filme. O boné tem a mesma importância aqui que tinha o urso de peluche em Chungking Express.

O que me desligou deste filme foi, estranhamente, algo que normalmente não falha em filmes coreanos: as qualidades puras das imagens nos vários aspectos da mise-en-scène. Este filme tem o aspecto barato de uma produção de vídeo de baixo orçamento, há vários aspectos de luz e forma que teriam certamente beneficiado a relação sensível que o escritor estabelece com os espaços. Chris Doyle compreende isto muito bem, mas não temos isso aqui. E o enquadramento de cada cena não consegue estar minimamente à altura dos múltiplos e inteligentes enquadramentos da história. Isso é realmente pena, este filme poderia ter uma força que apenas conseguimos pressentir.

A minha opinião: 4/5

Este comentário no IMDb

0 Responses to “Hahaha (2010)”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve