Gran Torino (2008)

“Gran Torino” (2008)

IMDb

crepúsculo

*** spoilers ***

Podemos ver este filme como ele é, como se nos apresenta; é como quem diz, com o apelo as audiências que a história transporta: -imigração numa visão contemporânea, encarar as sociedades ocidentais como instituições em transição, até ao ponto em que os bairros em tempos tranquilos do american way of life são ocupados e revividos pelas famílias dos países em tempos inimigos. -A promessa tensa de acção que nunca se verifica mas que transporta o filme. Como entretenimento, o filme vale o bilhete porque nos perguntamos sempre o que surgirá a seguir, mesmo que nada venha realmente a acontecer (num sentido gráfico e físico). Por isso a promessa tensa de acção, que afinal nunca deixa de ser drama. Bom jogo de géneros.

Podemos ver este filme no contexto das visões políticas de Clint Eastwood, dentro do lugar que os conflitos raciais e de gangs ocupam em áreas suburbanas como a do filme. podemos ver este filme como “político” ou de “orientação social”.

Podemos escolher ver algum dos filmes que descrevo acima, ou considerar outras camadas. Eu quero ver este filme como um passo sólido do trabalho de Clint, o realizador. Para mim, este filme é claramente um do crepúsculo da sua carreira. Não porque ele já não seja novo, mas porque este filme é tanto sobre a carreira de clint como actor como é sobre o seu próprio cinema. Por isso é que temos o personagem dele como uma paródia de todos aqueles polícias e cowboys duros e irascíveis, de Leone a Siegel. O engraçado é como esse personagem se torna o seu próprio anti-personagem no final. Como o tipo “feel lucky punk” duro acaba por não ser violento para derrotar os maus. Isso é certamente um twist muito para lá da simples surpresa de nos sentirmos enganados quando vemos o filme. Espero que Eastwood viva para fazer mais uma dúzia de novos filmes, mas este filme tem o sabor de uma conversa tranquila entre um realizador e a sua audiência, como os últimos Kurosawa ou Welles, ainda que Eastwood esteja muito longe da importância do trabalho desses 2. Mas a carreira de Clint é sem dúvida um carro clássico, que vale a pena conduzir e ver. E não tem a ver com a performance, tem a ver com o comprometimento.

A minha opinião: 4/5

Este comentário no IMDb

1 Response to “Gran Torino (2008)”


  1. 1 danielbonfim Junho 29, 2010 às 7:26 am

    Incrível!
    E Gran Torino é exatamente isso, uma promessa de tensão o tempo todo mas que, no raso, nunca deixa de ser drama, e mesmo essa promessa de tensão parece surgir primeiro na forma de sorriso esboçado. Clint faz um tipo, na minha opinião, muito cômico nesse filme, mas é um cômico nervoso, como se quisesse fazer rir e em seguida secar. A cena que eu mais gosto é quando ele desce na festa no porão, acho incrível o conflito de gerações.
    Legal!
    Até mais!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve