Vive la rose (2009)

“Vive la rose” (2009)

cinanima2009

Cinanima2009

IMDb

enquadramento

Ando a ter uma espécie de caso amoroso com filmes stop motion, que usam imagens reais. Com marionetas também, mas é uma coisa diferente. As imagens reais em stop motion é o que mais me anda a interessar. Penso que o fascina é a sensação de lapso temporal. Ou seja, os objectos ganham uma vida própria, mexem-se sozinhos, sim. Mas mesmo que estejamos a ver objectos fotografados e não pessoas, há uma sensação de tempo que se escoa. Por isso, penso que o nos cativa tem a ver com o que não vemos. É uma boa experiência. Este filme é refrescante, em relação ao uso da técnica, e o aspecto que ganha. Tão refrescante e adorável como a paisagem que começa por enquadrar. Basicamente é um vídeoclip de uma certa canção, e não foge daquilo que um clip costuma ser. Mas há duas noções que me interessaram aqui, e provavelmente fazem o filme valer:

– uma é a forma como somos transportados do exterior para o interior. Começamos a olhar para uma enorme paisagem, e fazemos uma panorâmica até uma cabana, entramos nessa cabana, vamos até uma secretária, onde uma gaveta se abre, e chegamos até um plano aproximado dessa gaveta. É um plano bem estruturado, que provavelmente poderia ser interessante mesmo se o filme fosse acção real, mas a forma como isto é feito, com o stop motion que corta a fluidez da sequência, torna isto interessante de uma forma estranha. No final do filme, teremos uma vez mais a paisagem, já que teremos um reverso acelerado do plano inicial. Isto permite ao filme respirar, e enquadrar a sequência dentro da gaveta, assim como dar-lhe um contexto;

-a gaveta, que corresponde à maioria do filme. O que me interessa aqui é como o enquadramento que vemos coincide com os limites da gaveta e como essa moldura se divide em diferentes quadros, literalmente separados pelas separações de madeira dentro da gaveta. Por isso temos diferentes quadros, diferentes coisas que acontecem. Para realçar isto, num desses quadros temos, em vez de stop motion, animação com desenhos, inseridos na fotografia do stop motion. No outro quadro temos simples stop motion.

Duas noções de enquadramento. Uma à escala do grande filme, a outra dentro da própria moldura da gaveta. Bom. A música dá um bom ambiente ao filme, ou o contrário. É um exercício simples, e não vai para além do que vemos, mas é bom mesmo assim

A minha opinião: 3/5

Este comentário no IMDb

Advertisements

0 Responses to “Vive la rose (2009)”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve