pelos filmes, Manoel de Oliveira

oliveira

Quem costuma ler o meu blog sabe que escrevo quase exclusivamente comentado directamente (mais ou menos) filmes. Tirando uma meia dúzia de entradas sobre temas diversos, tudo o resto são comentários a filmes que vou vendo. Hoje é uma dessas excepções. A excepção é que um realizador ainda em actividade faz 100 anos. A maioria dos portugueses partilha 2 características: -todos conhecem a figura, Manoel de Oliveira e sabem que hoje é o aniversário dele; -poucos viram algum filme dele e os que os viram normalmente não “gostam”;

No entanto eu acho que se é uma curiosidade que alguém viva para realizar aos 100 anos de idade, a Obra em questão é mais que uma curiosidade. Interessa, para mim, e em alguns momentos pesa nos meus sonhos. Desde que comecei este blog comentei 1 filme do Oliveira, o seu Cristóvão Colombo – O Enigma mas a verdade é que a primeira vez que alguma vez escrevi sobre cinema, foi sobre um dos seus filmes. Em 18 de Agosto de 2002, escrevi um comentário a “Viagem ao Princípio do Mundo”, um filme que mudou a minha forma de ver filmes e, por isso, os meus sonhos. Hoje, quando leio o que escrevi, quando tinha 18 anos e uma cinefilia crescente, não subscrevo a ingenuidade e inconsciência das observações que fiz, mas subscrevo a paixão pelo filme em questão, que extendo aqui à obra do homem. Aqui fica esse comentário primário:


Portuguese fado plus deep philosophy


I must say that this film, made by the most prestigious portuguese director (Manoel de Oliveira), is a great reflexion about Portugal’s more typical feelings and about life in general. It has in it the symbols of many things like the hard work shown by Pedro Macau, the statue. It is also a way to show the beautiful landscape (at least a sample of it) that my country has… It is important to notice the past of Afonso, the son of a portuguese emigrant in France, which is very common in Portugal (there are about 750 000 portuguese emigrants in France) and the recent portuguese history told by the country old woman. It’s a grace to watch to this touching movie. In it Marcello Mastroianni says Goodbye to cinema… and to life. He did the best way, I must say. This peace of art proves at least two things… Poetry can be written through images, and the portuguese people have poetry on its spirit; Oliveira with his now 93 years old proved it… Behold a master piece!…

Este comentário no IMDb

0 Responses to “pelos filmes, Manoel de Oliveira”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve