Sleepy Hollow (1999)

“Sleepy Hollow” (1999)

sleepy

IMDb

Mundo sem cabeça

A concepção de qualquer obra de Tim Burton começa na parte visual. Ele é um mestre em criar a sua visão específica e especial para as histórias que ilustra. E a palavra é correcta, creio, ele é essencialmente um ilustrador. A maioria das vezes ele pega em histórias, contos populares ou mitos populares ligeiramente reinventados, e criar aí mundos que os personagens podem ocupar. Num certo sentido, a sua mente funciona bastante como a de uma criança, no bom sentido, há poucas coisas melhores que a mente de uma criança. Esta mente é negra, bizarra e por vezes absurda, mas vale a pena a visita.

O problema é que na maioria das vezes essa visão específica, materializada em cenários e caracterizações é a única coisa que existe. Muitas vezes ele consegue fazer o mundo que cria viver para além da sua fantástica concepção dele. Neste aspecto, Burton trabalha mais como um designer, um arquitecto, que cria objectos e espaçoes, para que outros ponham vida neles.

O problema deste filme é esse. O mundo é obscuramente interessante de visitar, tudo está refinadamente construído de uma perspectiva visual. Mas as dinâmicas narrativas funcionam basicamente como qualquer produção, e isso quebra parcialmente a experiência. Não há um mistério real por trás da história, e o interesse do cavaleiro sem cabeça está puramente no seu aspecto visual (aparentemente o conto é bastante conhecido nos EUA, eu não o conhecia por isso não esperava nada em avanço).

Depp é um grande actor, um dos melhores nos dias que correm, e creio que uma das suas maiores qualidades é saber como se colocar na esturtura onde vai entrar. Para, como actor, compreender isso, a primeira coisa que ele faz é perceber como o seu personagem específico deve jogar com o contexto do filme de forma a fazer as coisas fluirem à sua volta e através dele. Notem como, apesar de ser protagonista, a sua actuação deixa um espaço grande para os personagens circundantes, fazendo-nos analisar e ‘investigá-los’, tal como o personagem de Depp faz. Nós actuamos com ele. É fantástico. Christina Ricci acompanha-o neste jogo, e parece ‘apenas’ um personagem secundário com um ângulo emocional até surgir o momento certo na história. Isto é difícil de fazer. Eu gostei.

A minha opinião: 3/5 vejam as actuações e visitem o que Burton propõem

Este comentário no IMDb

0 Responses to “Sleepy Hollow (1999)”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve