Tropic Thunder (2008 )

“Tropic Thunder” (2008 )

IMDb

Actores que actuam, representando actores

*** Este comentário pode conter spoilers ***

Tenho de confessar que nao sou um grande admirador de Ben Stiller. Apesar de, por vezes, ele econtrar conceitos interessantes que explora nos filmes em que tem um envolvimento mais activo (como escritor, sobretudo, as suas actuaçoes parecem-me relativamente vulgares, apesar de eficientes, e isso dá-me a impressao de que estou a ver um artista menor.

Bem, aqui nao. Aqui ele abraça uma reflexao e uma desconstruçao do que um actor faz, e sobretudo do que pode significar ser um actor. Um filme sobre actuaçoes, onde os actores representam vários papéis, um sobre o outro em alguns casos. Gosto deste material. Nesta viagem para uma selva de actuaçoes, ele leva Downey Jr. Escolhê-lo é uma das coisas mais inteligentes que temos aqui.

Assim, temos um grupo de actores que vao para a selva para gravar um filme. Pelo caminho, por uma série de eventos, eles eventualmente confundem localizaçoes ‘reais’ com cenários, e pessoas ‘reais’ com actores. Eles continuam a actuar, mesmo quando já sabem que nao estao na realidade do filme dentro do filme a que assistimos. Talvez estejam a actuar para nós.

O escritor do filme dentro do filme é, ele mesmo, um actor que representa um papel que inventou para si mesmo. Percebemos isso quando descobrimos que ele é uma farsa, e inventou todo o enredo do filme interno. O que toda a gente no filme que vemos considera ser eventos reais é na verdade uma ficçao que o escritor falso, supostamente maneta, cria. Assim ele cria também os lugares que cada actor no filme interno vai ocupar. Nesse filme, todos actuam de forma diferente e papéis exagerados: Stiller tenta ultrapassar-se, por isso tenta ter o papel princiap que naturalmente (na realidade que nos é dada) pertenceria â ‘estrela’ Downey Jr. Ele acaba por encontrar um papel de estrela num palco improvisado. O estrelato é o seu tema, e o que motiva a sua actuaçao.

Downey Jr. é o personagem mais interessante e complexo, pela própria cosntruçao do guiao e pela sua própria profundidade como actor. Ele representa um actor australiano, loiro e de olhos azuis. Nós sabemos quem é Downey Jr e ele nao é assim, por isso já percebemos logo aqui que ele está a actuar. No filme, ele pinta a pele de negro, muda o cabelo e a cor dos olhos para parecer negro, afro-americano e urbano. Isto é outro papel, que representa um certo estereótipo que na verdade é uma actuaçao em si mesma, sempre que os negros representam o seu personagem urbano. O enredo contém mesmo um personagem realmente negro que tem problemas com Downey Jr por ele fingir que é negro sem ser um quando na verdade os dois representam esse papel; algures no filme temos a noçao da sensibilidade gay do tipo negro real. A piada está nesta contradiçao entre as duas faces do personagem, e como um se esconde no outro.

Jack Black é o personagem mais plano. Também o mais desinteressante, para mim. Isso porque ele actua apenas como uma personalidade ‘pública’ na realidade do filme que vemos. Um ídolo de crianças e adolescentes que na verdade é viciado em drogas, e uma pessoa totalmente desinteressante na vida real. É uma versao do Krusty, o palhaço, de Groening. Black tem um grande potencial para comédia e para criar jogos interessantes com ela, pena que isso nao tenha sido usado aqui.

Um personagem discreto mas interessante é o representado por Baruchel. Isto porque ele é o único que nao representa nada, na realidade louca da selva. Ele sabe onde está, ele nao entra no mundo alucinado que os outros abraçam a ponto de confundirem as suas próprias personalidades, e provavelmente por isso ele é, no filme, o pior actor. Ele actua para ter sexo, nao tem qualquer tipo de relaçao com a profissao.

Toda esta louca e bonita peça com actores que representam personagens que representam personagens que… está bem encaixada no início e no final pela realidade de ‘celebridades’ desses actores. Isto é sublinhado pela cerimónia de óscares onde o filme acaba e pelos boatos e vidas passadas desses actores nas quais entramos até um certo limite. O início dá-nos um número de trailers falsos de filmes onde os actores entraram. Participaçoes como a do Tobey Maguire estabelecem a credibilidade de tudo. O filme começa sem créditos, e os trailers aparecem-nos como se fossem de facto os trailers que vemos nos cinemas antes de começar o filme que esperamos. Adorei o detalhe.

Pela primeira vez desde Magnolia, Toma Cruise actua. Ele nao foi anunciado, ou muito pouco mencionado na promoçao deste tropic thunder, e isso foi propositado para nos causar a surpresa. Dupla surpresa. Nao só ele está aí, como também ‘nao’ está aí. Ele actua… Esse é um factor surpreendente no tema dos ‘actores que actuam’. Ele é vibrante, realmente engraçado porque nao esperávamos vê-lo fazer as coisas que faz. Que pérola.

Suponho que as audiências americanas vao apreciar as piadas relacionadas com os personagens australianos e ingleses. Eu estou fora.

Dou a minha marca mais alta a este filme, apesar de isso poder mudar com base em futuros revisionamentos e, sobretudo, como ele se vai acomodar na minha cabeça; mas achei isto tao inteligente e bem executado, que me pareceu que merece o lugar.

A minha opiniao: 4/5

Este comentário no IMDb

Advertisements

0 Responses to “Tropic Thunder (2008 )”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve