Entre inimigos (2006)

“The Departed” (2006)

IMDb

Martin olhando para o seu passado

Scorcese voltou ao seu passado como realizador. Nos seus últimos projectos ele vinha explorando as possibilidades de movimentar a sua câmara, a meu ver em dois aspectos fundamentais: -explorar espaço, arquitectura, a envolvência; -provocar sensações, neste caso agarrando-se a um personagem (ou vários) e transmitindo essas sensações a nós, audiência. Estou naturalmente a falar aqui de “Gangs de Nova Iorque” e “O aviador”. O primeiro foi bastante mais arrojado nestes aspectos, o segundo foi mais reflectido, talvez mais refinado e multi-facetado (introduziu o tema das cores, da evolução do tempo e reviveu a “câmara que segue um personagem”). Eu valorizo esses projectos porque Scorcese correu neles alguns riscos e tentou evoluir como realizador. Não chegou a “terra firme” ou conclusões reais. Mas esse é o objectivo de experimentar: tentar soluções.

Com este filme, ele coloca algumas dessas experiências de lado. Isto aparentemente. Neste filme, Scorcese volta à sua forma de desenvolvimento de personagens. Tudo tem a ver com os personagens. As acções desenrolam-se baseadas no estado mental, nos medos, de cada personagem. Fal, claro, de Damon e DiCaprio. Nicholson já não é o personagem assustado de The shining, nem o detective astuto de Chinatown (e especialmente Two Jakes). Ele trouxe no entanto para aqui alguma da actuação tendencialmente cómica que desenvolveu nos seus projectos menores dos últimos anos (isto é uma nota paralela). Assim, a sobreposição de personagens principais permite a Scorcese tornar mais complexo o seu anteriormente bastante simples (e muitas vezes desinteressante) jogo de Goodfellas ou Casino. É portanto um “refrescar” da sua “fórmula” baseado, creio, em tentar estender a sua forma comum de desenvolvimento a partir de personagens às experiências dos projectos referidos anteriormente.

Suponho que este deveria ser um projecto paralelo às suas novas tendências, mas espero que o grande sucesso que este teve não façam Martin desistir dessas tendências que vinha conduzindo… De qualquer forma, até este momento, The Departed é de Scorcese o melhor exemplo do tipo de construção que ele melhor domina: o que usa o personagem como fio condutor.

Em termos técnicos este filme não tem quase falhas, naturalmente; e eu quis vê-lo sem ter visto primeiro o original que foi refeito aqui. Não quis basear este meu comentário nesse outro filme.

A minha avaliação: 3/5, mesmo assim, espero que Scorcese continue a sua evolução dos últimos 5 anos, ele poderá chegar a algum sítio novo para os seus padrões.

Este comentário no IMDb

1 Response to “Entre inimigos (2006)”


  1. 1 T.J. Junho 24, 2008 às 2:36 pm

    Este para mim é um filme perfeito. sem tirar nem pôr. uma das melhores obras de Scorcese na minha opinião. Uma narrativa excelente, actores fenomenais (nicholson, damon e di caprio) com performances impressionantes. um final justo e que deixa uma sensaçao de satisfaçao em qualquer um. mt mt bom mesmo. aconselho a qualquer um (excepto aos com ouvidos delicados, tendo em conta que as personagens usam uma linguagem bastante baseada na palavra do ‘F’ e os seus derivados XD


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Destaques

Vou começar de forma mais séria a tratar o tema do cinema e espaço/arquitectura. Espero poder introduzir novidades em breve